domingo, 26 de maio de 2013

Resenha: Desaparecido para Sempre - Harlan Coben




Título: Desaparecido para Sempre
Autor: Harlan Coben
Páginas: 320
Editora: Arqueiro
Ano: 2010
ISBN: 978-85-9929-670-7
Estrelas: 5








Sinopse:

No leito de morte, a mãe de Will Klein lhe faz uma revelação: seu irmão mais velho, Ken, desaparecido há 11 anos e acusado do assassinato de sua vizinha Julie Miller, estaria vivo. Embora a polícia o considere um fugitivo, a família sempre acreditou em sua inocência.
Ainda aturdido por essa descoberta e tentando entender o que realmente aconteceu com seu irmão, Will se depara com outro mistério: Sheila, seu grande amor, some de repente, e o FBI suspeita do envolvimento dela no assassinato de dois homens. Apesar de estarem juntos há quase um ano, Sheila nunca revelou muito sobre o seu passado.
Enquanto isso, Philip McGuane e John Asselta, dois criminosos que foram amigos de infância de Ken, passam inexplicavelmente a rondar a vida de Will.
Para descobrir a verdade por trás desses acontecimentos, ele conta apenas com a ajuda de Squares - seu colega de trabalho em uma fundação de assistência a jovens carentes e proprietário de uma escola de ioga famosa entre as celebridades, o que lhe garante acesso a topo tipo de pessoas e de informações.

Resenha:

Desaparecido para Sempre é de tirar o fôlego! Deixa qualquer um maluco para chegar ao final. Harlan Coben sempre nos faz roer as unhas e entrar pela madrugada a dentro. É o terceiro livro que leio dele e não me canso, nem me arrependo. É uma trama que só ele consegue desenvolver e nos envolver. 
Harlan Coben opta pela narrativa em primeira pessoa, em que o narrador é Will Klein, o protagonista do thriller policial, o que faz com que nos sintamos dentro da narrativa, faz com que vivamos aqueles momentos, com que nos desesperemos junto com os personagens. 
Will vivia uma vida tranquila no subúrbio rico de Nova Jersey até que seu irmão mais velho, Ken, é acusado de estuprar e matar sua vizinha Jullie Miller. Ken torna-se um foragido internacional. Entretanto, sua família prefere pensar que ele morreu e aceita que ele seja um criminoso. Então, 11 anos depois, Sunny - como chamavam a mãe de Ken, Will e Melissa -, em seu leito de morte, revela a Will que seu irmão está vivo. Quando o Will resolve investigar o caso sua namorada, Sheila, desaparece também. Mais tarde a polícia encontra as digitais dela em uma cena de crime no Novo México. Logo, Will se vê rodeado por agentes do FBI e pelo maior deles, Pistillo, por ter contato com os principais suspeitos de dois grandes assassinatos. Então... as coisas só pioram quando Will tem na sua cola um psicopata do passado, amigo de Ken. E, para resolver e compreender esses acontecimentos estranhos e perturbadores, o protagonista conta com a ajuda de Squares, seu melhor amigo e um respeitado dono de uma grande escola de ioga, e Katy Miller, irmã da assassinada Jullie Miller.

Will é meu personagem favorito, claro! Ele vê-se rodeado de perguntas e respostas que fazem sua vida virar de cabeça para baixo até os últimos parágrafos. E... confesso que poderão achar um pouco estranho, mas até senti um ponta de afeto pelo psicopata do livro e vocês entenderão o porquê no fim do livro. Não contarei nada! Harlan Coben, um dos meus autores preferidos usa dos acontecimentos que rodeiam nosso dia a dia, mas que, paradoxalmente, não fazem parte do nosso cotidiano, pois, por mais que saibamos desses casos bizarros e medonhos, isso não nos rodeia completamente. 

Um livro que nos faz perder a cabeça a cada página. São inúmeros personagens e acontecimentos, e revelações, mas o autor tem um jeito diferente de narrar que não permite que nos confundamos no desenrolar da trama. 

Curioso e surpreendente, esse thriller policial revela acontecimentos inacreditáveis até a última página! Harlan Coben nos envolve como se fizéssemos parte dessa narrativa incrível. 

RECOMENDADÍSSIMO !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário